Pesquisar este blog

sábado, 6 de abril de 2013

Notícias até 06-04-2013 às 05:15:39

Grêmio enfrenta o Cerâmica pelo Gaúcho, mas já pensa em "final" com Fluminense
Fonte: IG Esporte
Horário da matéria: 06/04/2013 às 05:10:00

Gazeta

Luxemburgo leva titulares a campo para último teste antes de jogo decisivo pela Libertadores

Tudo o que o Grêmio fez nas últimas quatro semanas foi pensando no jogo da próxima quarta, contra o Fluminense. Mudanças de esquema, alternativas de banco, opção para o lugar do suspenso Elano, entre outras medidas. Neste sábado, o Grêmio enfim realizará seu último ensaio para o jogo decisivo da próxima quarta, pela Libertadores. O adversário é o Cerâmica, pela penúltima rodada da fase de grupos da Taça Farroupilha, na Arena.

Se Elano já tem jogado pouco justamente para que o técnico Vanderlei Luxemburgo possa encontrar seu substituto, uma lesão sofrida no treino desta quinta tirou de vez o camisa 7 do jogo deste final de semana. O meia sentiu dores no joelho, e ainda será reavaliado para saber o tempo de parada. Zé Roberto também deixou o treino com dores, mas jogará normalmente. O substituto de Elano, tanto contra o Cerâmica quanto diante do Fluminense, deve ser Marco Antônio.

Na lateral esquerda, como André Santos foi convocado por Luiz Felipe Scolari para o amistoso contra a Bolívia, neste sábado, Fábio Aurélio começará pela primeira vez uma partida como titular do Grêmio. Contra o Passo Fundo, ele finalmente fez sua estreia, entrando no segundo tempo, após nove meses de seguidas lesões que o impediram de atuar pelo Tricolor Gaúcho.

O goleiro Dida, recuperado de uma lesão na coxa esquerda, está de volta ao gol gremista. Na frente, Vargas e Barcos voltam a formar a dupla de ataque. Kleber e Welliton serão as opções no banco de reservas para o técnico Vanderlei Luxemburgo.Depois de um bom primeiro turno, quando chegou a se classificar para os mata-matas, o Cerâmica pena na Taça Farroupilha. A equipe de Gravataí ocupa a última colocação do Grupo A, com apenas 3 pontos. Praticamente sem chances de classificação, o time luta contra o rebaixamento - está apenas um ponto à frente do Cruzeiro-RS, o primeiro que estaria caindo para a Segundona 2014.

O técnico do Cerâmica é Luís Eduardo, ex-zagueiro do Grêmio nos anos 80. Apesar de reconhecer as dificuldades, ele afirma que o objetivo é uma vitória na Arena: "respeitamos o adversário, mas sabemos do potencial do nosso grupo. Vamos trabalhar muito durante a semana para buscar esses três pontos, mesmo sendo fora de casa".

O Grêmio, por sua vez, garantirá sua classificação aos mata-matas deste segundo turno do Gauchão se vencer o jogo. Com 10 pontos, o Tricolor divide a vice-liderança da chave com o Novo Hamburgo e está atrás apenas do Passo Fundo, que tem 11. O objetivo gremista é terminar na liderança da chave e garantir a vantagem de disputar os próximos confrontos eliminatórios na Arena, sem o desgaste de viagens.

Outros três jogos movimentam o sábado pelo Gauchão. No grupo gremista, se enfrentam Cruzeiro-RS x Caxias, às 16h, e Lajeadense x Novo Hamburgo, às 20h30. Pela chave colorada, jogam Juventude x Canoas, às 16h. A penúltima rodada se completa com outros quatro jogos neste domingo.

FICHA TÉCNICA
GRÊMIO X CERÂMICA

Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Data: 6 de abril de 2013, sábado
Horário: 21 horas (de Brasília)
Árbitro: Francisco Silva Neto
Assistentes: Vilmar Burini e Antônio César Domingues Padilha

GRÊMIO: Dida; Pará, Cris, Werley e Fábio Aurélio; Fernando, Souza, Marco Antônio e Zé Roberto; Vargas e Barcos
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

CERÂMICA: Villa; Saraiva, Alexandre, Marcão e Zaquel; Pedro, Cidinho, Róbson e Soares; Serginho Catarinense e Murilo
Técnico: Luís Eduardo



--------------

Contra Duque de Caxias, Fla tenta última cartada para se manter vivo na Taça Rio
Fonte: IG Esporte
Horário da matéria: 06/04/2013 às 05:08:00

Gazeta

Com quatro pontos e vindo de derrota, time de Jorginho tem chances remotas de avançar

Em situação muito delicada, o Flamengo busca se manter vivo na Taça Rio tentando derrotar neste sábado, às 16 horas (de Brasília), o Duque de Caxias no estádio Moça Bonita. A equipe tenta se recuperar da derrota por 2 a 1 sofrida para o Audax na última rodada.

Fla deixa vitórias para depois e aposta em austeridade financeira para renascer

O Rubro-Negro tem quatro pontos conquistados, um a menos do que seu adversário. O Flamengo está a seis pontos do Fluminense, que fecha a zona de classificação, e somente em caso de triunfo vai manter vivo o sonho de chegar às semifinais.

Enquanto isso, o representante da Baixada Fluminense, embalado pelo triunfo por 3 a 1 sobre o Macaé, tem dez pontos na classificação geral, que leva em consideração o somatório dos dois turnos, e pretende afastar de vez o risco de queda.

A má fase do Flamengo no Campeonato Carioca gerou uma certa crise na Gávea, amenizada apenas pelo triunfo por 1 a 0 sobre o Remo na estreia na Copa do Brasil. O técnico Jorginho chegou a jogar a toalha a respeito das chances de classificação, mas agora garante que ainda sonha com a classificação.

"O Flamengo é superação e estamos pensando em classificação para as semifinais. O momento é de focar apenas na nossa parte, pois precisamos vencer o Duque de Caxias. Depois observamos o que aconteceu com o restante das partidas de nossa chave", afirmou o treinador.O Flamengo não foi definido por Jorginho, mas o treinador pretende manter a base que derrotou o Remo no meio de semana. O comandante rubro-negro, porém, não sabe se poderá contar com o lateral direito Leonardo Moura, substituído diante dos paraenses por conta de dores na coxa esquerda. Caso ele seja vetado, o volante Elias deverá ser improvisado no setor.

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO X DUQUE DE CAXIAS

Local: Estádio Moça Bonita, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 6 de abril de 2013 (sábado)
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Pathrice Maia (RJ)
Assistentes: Paulo Carneiro (RJ) e Tarsio Lago (RJ)

FLAMENGO: Felipe; Elias (Léo Moura), Renato Santos, Wallace e João Paulo; Amaral, Ibson (Elias), Gabriel e Rodolfo; Rafinha e Hernane
Técnico: Jorginho

DUQUE DE CAXIAS: Fernando; Iago, Paulão e Sérgio Raphael; Dudu, Renan Silva, Lucas, André Gomes, Leandro Cruz e Antonio Carlos; Charles Chad
Técnico: Mário Marques



--------------

Goiás tenta esquecer favoritismo em clássico contra Atlético-GO
Fonte: IG Esporte
Horário da matéria: 06/04/2013 às 05:07:00

Gazeta

Goiás lidera com folgas o Estadual. Atlético vem de quatro vitórias seguidas e é terceiro

Goiás e Atlético-GO fazem o clássico do Estadual na tarde deste sábado, na abertura da 16ª rodada da competição. O encontro entre os rivais está marcado para as 16 horas (de Brasília), no Serra Dourada.

Justamente pelo fato de a partida envolver tanta rivalidade, o lateral esquerdo esmeraldino William Matheus esqueceu a liderança e os quase 85% de aproveitamento da própria equipe e pediu respeito ao adversário.

"Ter favoritismo ou não é mais para imprensa. O caminho que a gente vem traçando é o da humildade. Quando enfrentamos adversários com estrutura um pouco menor, a gente tem feito prevalecer isso. Mas clássico é jogo igual, é difícil ver um placar elástico em jogos como esse. O favoritismo tem que aparecer dentro de campo, não na torcida ou na imprensa", diz o lateral, que volta ao time ao lado do volante Amaral, depois de cumprir suspensão.

Com os retornos, e os desfalques de Thiago Mendes, Walter e Júnior Viçosa, todos lesionados, o técnico Enderson Moreira deve escalar os titulares com: Harlei; Vítor, Ernando, Rodrigo e William Matheus; Amaral, Dudu Cearense, David, Ramon e Renan Oliveira; Neto Baiano. O meia Hugo, recém-contratado, ainda tem pendências burocráticas que o impedem de entrar em campo.

Apesar de, ao contrário do rival, não estar classificado ainda, o Atlético-GO vem fazendo também uma campanha consistente, principalmente nas últimas semanas. A equipe vem de quatro vitórias seguidas e ocupa a terceira posição, com 26 pontos.

"Acho que o clube mostra sinais de evolução. Estamos criando uma nova mentalidade, e o grupo está entendendo muito bem. Espero que a gente continue vencendo, mas sempre respeitando os adversários", afirma o técnico Waldemar Lemos, que chegou a 81% de aproveitamento à frente do Dragão.

Os principais desfalques são Márcio e Artur, lesionados. Por outro lado, William Barbio, Robston, Paulo Henrique e Dodó ficarão à disposição de Waldemar. Assim, o Dragão deve tentar conseguir a quinta vitória seguida com: Roberto; John Lennon, Gilson, Diego Giaretta e Leonardo; Dodó, Ernandes, Robston e João Paulo; Pipico e Ricardo Jesus.



--------------

Felipão usa jogo na Bolívia para teste caseiro antes da Copa das Confederações
Fonte: IG Esporte
Horário da matéria: 06/04/2013 às 05:05:00

Gazeta

Com jogadores de clubes brasileiros, técnico tenta encontrar último ajuste antes de torneio

O técnico Luiz Felipe Scolari tem mais um teste para observar os jogadores da Seleção Brasileira antes da Copa das Confederações. Em jogo agendado como homenagem ao torcedor Kevin Beltrán Espada, morto em jogo da Libertadores, o treinador do Brasil escala uma equipe caseira para encarar a Bolívia, neste sábado, às 16h30 (de Brasília), no Estádio Ramón ?Tahuichi? Aguilera, em Santa Cruz de la Sierra.

Antes de embarcar para a Bolívia, Neymar se anima por voltar a jogar com Pato

Mesmo sem contar com os atletas que atuam no exterior, o treinador da Seleção quer avaliar o comportamento do time neste jogo, para projetar a convocação para o torneio de junho. "Da base com 17 jogadores que tenho na Bolívia, 13 ou 14 também estarão no jogo contra o Chile (próximo amistoso). É a oportunidade de jogar no mínimo dois jogos, para termos uma ideia de quem pode ser convocado também para a Copa das Confederações", afirmou.

Leia também: Internauta do iG elege Neymar como a maior decepção da seleção de Felipão

A partida deste sábado será fundamental para Ronaldinho Gaúcho, que, depois da atuação apagada na derrota em amistoso contra a Inglaterra, quando até perdeu um pênalti, foi esquecido nos compromissos diante de Itália e Rússia. O astro do Atlético-MG disputa teoricamente um espaço com Kaká e tem agora a chance de tentar se destacar com o Brasil.

Como o jogo não está marcado para uma data estipulada pela Fifa para amistosos, Felipão foi obrigado a formar o grupo com 17 jogadores que atuam no futebol nacional. Assim, o treinador também aproveita o compromisso para promover o retorno de Alexandre Pato à Seleção, depois das boas atuações do atacante pelo Corinthians.

Neymar domina a bola no amistoso contra a  Rússia

Neymar domina a bola no amistoso contra a Rússia

Foto: Mowa Press

Neymar tenta carregar a bola em ataque  brasileiro durante jogo contra a Rússia

Neymar tenta carregar a bola em ataque brasileiro durante jogo contra a Rússia

Foto: Mowa Press

Brasil e Rússia empataram em 1 a 1. Neymar,  mais uma vez, passou em branco

Brasil e Rússia empataram em 1 a 1. Neymar, mais uma vez, passou em branco

Foto: Mowa Press

Neymar em treino da seleção brasileira em  Genebra, na preparação para o jogo contra a  Itália

Neymar em treino da seleção brasileira em Genebra, na preparação para o jogo contra a Itália

Foto: Wander Roberto/VIPCOMM

Neymar se aquece antes da partida entre  Brasil e Itália em Genebra

Neymar se aquece antes da partida entre Brasil e Itália em Genebra

Foto: Wander Roberto/VIPCOMM

Neymar conduz ataque da seleção brasileira  contra a Itália

Neymar conduz ataque da seleção brasileira contra a Itália

Foto: Mowa Press

Neymar passou em branco no empate com a  Itália, mas deu a assistência para o gol de Oscar

Neymar passou em branco no empate com a Itália, mas deu a assistência para o gol de Oscar

Foto: Mowa Press

Neymar durante treino da seleção brasileira  em Londres, antes do jogo contra a Inglaterra em  Wembley

Neymar durante treino da seleção brasileira em Londres, antes do jogo contra a Inglaterra em Wembley

Foto: Mowa Press

Neymar disputa a bola com Glen Johnson  durante amistoso contra a Inglaterra

Neymar disputa a bola com Glen Johnson durante amistoso contra a Inglaterra

Foto: AP

Neymar tenta, mas não consegue fazer o gol  após Ronaldinho perder pênalti

Neymar tenta, mas não consegue fazer o gol após Ronaldinho perder pênalti

Foto: AP

Neymar comemora gol de Fred pelo Brasil na  derrota por 2 a 1 para a Inglaterra

Neymar comemora gol de Fred pelo Brasil na derrota por 2 a 1 para a Inglaterra

Foto: AP

Neymar com o bolo de aniversário que ganhou  na concentração da seleção em fevereiro

Neymar com o bolo de aniversário que ganhou na concentração da seleção em fevereiro

Foto: Mowa Press

Neymar foi modelo na apresentação da camisa  da seleção brasileira, em janeiro

Neymar foi modelo na apresentação da camisa da seleção brasileira, em janeiro

Foto: Gazeta Press

Neymar foi modelo na apresentação da camisa  da seleção brasileira, em janeiro

Neymar foi modelo na apresentação da camisa da seleção brasileira, em janeiro

Foto: Gazeta Press

O clube paulista é o que mais cedeu atletas para este amistoso. Além do atacante, os volantes Ralf e Paulinho também estão convocados, assim como o quarto goleiro do plantel de Tite, o garoto Matheus Caldeira, que sequer estreou pelos profissionais do Corinthians.

A partida foi marcada pela Confederação Brasileira de Futebol para prestar homenagem a Kevin Beltrán, que morreu ao ser atingido por um sinalizador na partida entre Corinthians e San José, em Oruro, pela Copa Libertadores. Felipão explicou que o compromisso servirá para fomentar o "carinho e a união" entre Brasil e Bolívia.

Mesmo assim, o amistoso gera polêmica no país anfitrião, já que a família do torcedor reclama por ainda não saber a real porcentagem que receberá. A CBF deixará toda a renda do duelo para a Federação Boliviana de Futebol, que terá o poder de decidir qual o montante que será destinado aos familiares do garoto.

Em campo, a seleção boliviana tenta aproveitar o ganho esportivo por enfrentar o Brasil. O treinador da equipe anfitriã, o espanhol Xabier Azkargorta, ficou animado com o amistoso. "Em julho de 2012, já me falavam de jogar contra Espanha e Brasil. Neste sábado, jogaremos contra a Seleção Brasileira. Atuar contra jogadores como Ronaldinho, Neymar e Pato será grandioso", afirmou.

A atração da equipe boliviana é o atacante Marcelo Moreno, que está afastado do elenco principal do Grêmio e chegou a ter seu futuro na seleção colocado em dúvida, mas foi convocado pelo treinador e deve ser titular.

FICHA TÉCNICA - BOLÍVIA X BRASIL

Local: Estádio Ramón ?Tahuichi? Aguilera, em Santa Cruz de la Sierra (na Bolívia)
Data: 6 de abril de 2013, sábado
Horário: 16h30 (de Brasília)
Árbitro: Patricio Loustau (da Argentina)
Assistentes: Ernesto Uziga e Ezequiel Brailovscky (ambos da Argentina)

BRASIL: Jefferson; Jean, Dedé, Réver e André Santos; Ralf, Paulinho, Jadson e Ronaldinho Gaúcho; Neymar e Alexandre Pato
Técnico: Luiz Felipe Scolari

BOLÍVIA: Sergio Galarza; Marvin Bejarano, Rony Jiménez, Edward Zenteno e Jair Torrico; Edivaldo Rojas, Ronald García, Alejandro Chumacero e Jhasmani Campos; Marcelo Moreno e Carlos Saucedo
Técnico: Xabier Azkargorta



--------------

Às vésperas dos Jogos do Rio, golfe tenta popularização, mas esbarra no elitismo
Fonte: IG Esporte
Horário da matéria: 06/04/2013 às 05:00:00

Mauricio Nadal

Campos públicos e projetos para incentivar a prática do esporte ainda não se propagaram e a modalidade ainda caminha a passos curtos no país

Em 2016, nos Jogos Olímpicos do Rio, o golfe voltará a fazer parte do programa olímpico. Ainda pouco difundido no Brasil, o esporte bem que tenta se popularizar através de algumas iniciativas públicas, porém ainda esbarra na fama de modalidade para a elite.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

De acordo com a CBG (Confederação Brasileira de Golfe), o Brasil tem cerca de 25 mil praticantes da modalidade e 110 campos de golfe espalhados pelo país. No Brasil, o esporte luta para se popularizar antes das Olimpíadas. Campos públicos, como o Japeri Golfe, no Rio de Janeiro, estimulam jovens de diversas camadas sociais a praticar golfe. O local promove aulas para pessoas de 7 a 18 anos, mediante à um comprovante de escolaridade.

Leia mais: Japeri: golfe é o "futebol" de município pobre do Rio

?Comecei com tinha 13 anos. No começo tinha pouca coisa. A gente ia lá e ficava correndo, brincando. Os tacos eram doados e bem antigos. Tinha até taco de madeira na época que comecei. Hoje está bem evoluído, tem os melhores tacos e os melhores materiais?, disse Cristian Barcelos, de 18 anos, criado no Japeri e atual campeão brasileiro juvenil.

A FPG ( Federação Paulista de Golfe), em parceria com o Governo Federal, tem o Projeto Golfe Nota 10, onde 14 clubes situados no estado de São Paulo cedem o material e realizam clínicas com crianças de 7 a 15 anos. Além disso, clubes por todo o país oferecem uma primeira aula gratuita para estimular a chegada de novos adeptos.

Porém, as iniciativas públicas e promoções ainda são restritas e pouco divulgadas. Títulos de sócio em clubes e aulas com professores especializados ainda são caros. Além disso, os valores dos materiais para a prática geram a fama do golfe como esporte para elite.

Veja também: Aspirante a tenista troca de esporte e lidera promessas do golfe no Brasil

?Para começar precisa de uma bolsa, que tem até 14 tacos. Mas pode comprar tacos usados. Não precisa ser o top do top. Não precisa comprar a chuteira que o Cristiano Ronaldo usa para começar. Pode escolher uma chuteira de uma marca diferente. Com o golfe é a mesma coisa. Pode ser um taco que já foi utilizado, mas que seja bom. Você vai gastar uns R$ 1000 na bolsa, no conjunto. Um taco sai por R$ 100 ou R$ 200?, analisou Daniel Stapff, quarto brasileiro no ranking mundial de golfe e uma das promessas para 2016.

Tabela de preços de acessórios para a prática do golfe:
LuvasR$ 40,00
Bolsa para tacosR$ 1.000,00 
TacoR$ 100 a R$ 200 
Caixa de bolinhasR$ 120 a R$ 180 
SapatoR$ 250 a R$ 450 
Aluguel de campoR$ 100 por pessoa


Rafael Becker, que veio de família formada no golfe, joga nos EUA, na Universidade de Wichita. Ele criticou a falta de popularidade do esporte no Brasil e comparou com o status da modalidade nos Estados Unidos.

E mais: Neto de golfista e jovem de projeto social sonham com futuro como profissional

?No Brasil, está muito mais acessível, mas continua sendo de elite. Mas também não fazem nada ?deselitizar? e isso dificulta um pouco. O golfe poderia ser mais popular no Brasil. Nos EUA, você vê gente jogando golfe em todas as classes sociais e no Brasil e muito fechado, assim como o tênis. Hoje ainda é, mas tem potencial para não ser mais?.

*Com colaboração de Aretha Martins



--------------

Aspirante a tenista troca de esporte e lidera promessas do golfe no Brasil
Fonte: IG Esporte
Horário da matéria: 06/04/2013 às 05:00:00

Aretha Martins

Daniel Stapff disputa o torneio Brasil Classic nesta semana em São Paulo, é o quarto melhor brasileiro no ranking mundial e sonha com 2016

De volta ao programa olímpico nos Jogos do Rio 2016 ? participou pela última vez em Saint Louis (EUA), em 1904 - o golfe inspira uma promessa brasileira a sonhar com uma vaga para os Jogos. Daniel Stapff, jogador de 22 anos, é atualmente o quarto melhor brasileiro no ranking mundial da PGA (Associação dos Golfistas Profissionais), lista que provavelmente definirá os atletas participantes das Olimpíadas.

Deixe seu recado e comente com outros leitores

?Sou o quarto brasileiro, mas sou profissional só há nove meses. Tenho mais três anos pela frente até as Olimpíadas e acho que estou bem?, afirma Daniel. Ele e os outros jovens Rafael Becker e Cristian Barcelos competem nesta semana o Brasil Classic em São Paulo convidados pela Confederação Brasileira de golfe. Rafael já bateu Daniel en confrontos diretos, mas ainda é amador e, por isso, 2016 pode estar muito perto para tentar uma vaga. Cristian ainda está no começo da carreira e também é amador. 

Leia mais: Neto de golfista e jovem de projeto social sonham com futuro como profissional

Daniel é de Curitiba e começou no golfe por acaso, quando ainda tentava jogar tênis. Seu pai, Pablo Stapff, foi tenista profissional e o garoto queria seguir os mesmos passos, mas não teve sucesso. ?Tentei o tênis dos 6 aos 12, mas eu não levava jeito. Era meio gordinho e era ruim mesmo?, lembra aos risos.

Enquanto ainda sonhava com as quadras, aos 11 anos, viajou ao lado do pai para um torneio e, por causa da chuva, o evento teve que ser cancelado. Como passar o tempo no hotel? ?Não tinha o que fazer a gente resolveu jogar golfe. Só que a gente não sabia absolutamente nada. Alugamos uns tacos e umas bolinhas velhas que eu achava que fossem preciosidades. A gente nem sabia que tinha que colocar no buraco. Só queríamos bater?, conta.

?Mesmo na chuva, a gente foi lá brincar. E tinha um laguinho que eu não passava de jeito nenhum e isso me deu uma frustração. Meu pai também quase quebrou uma janela da quadra de tênis. E tinha gente na quadra?, completa Daniel.

Apesar dos tropeços da primeira experiência, pai e filho gostaram do novo esporte e foram procurar um lugar para treinar em Curitiba. Daniel começou meio que obrigado pelo pai e, depois de alguns meses, disputou o primeiro torneio. ?Jogava tênis há seis anos e nunca tinha ganhado nada. Joguei o primeiro torneio de golfe e ganhei. Aí falei: ?É aqui mesmo que eu vou ficar??, lembra o atleta, que começou a se dedicar seriamente ao golfe aos 13 anos.

Leia também: Às vésperas dos Jogos do Rio, golfe tenta popularização, mas esbarra no elitismo

Daniel Stapff investiu no novo esporte e foi estudar nos Estados Unidos. Ele cursou finanças na Universidade de Barry, passou quatro anos no circuito universitário e somou títulos como de jogador do ano da sua conferência, além de ser dono do recorde de vitórias e da maior pontuação da universidade. ?Ainda no segundo torneio como profissional ou ganhei e aí entrei para o PGA Latino-América e comecei a marcar pontos no ranking?, completa.

Com diploma na mão, ele teve que voltar ao Brasil, mas por pouco tempo. ?Quero me mudar no final deste ano ou no próximo, no máximo para os Estados Unidos. Não dá para manter o mesmo nível aqui no Brasil. Acho que para ser campeão mundial tem que morar lá ou na Europa?, afirma. 

O jogador quer seguir com o ritmo forçado dos Estados Unidos para conseguir uma vaga olímpica. Ele explica que os critérios ainda não foram definidos, mas que a classificação deve ser feita pelo ranking mundial.

?O que está dito até agora é que serão 60 jogadores. Os 15 melhores do ranking estariam classificados e, depois disso, pegam dois por país até completar os 60. Se for americano, tem que estar entre os primeiros porque já tem uns 6 ou 7 atletas de lá no top 15. O brasileiro teria que ficar entre 250 e 280 do mundo para ficar com essas outras vagas?, explica Daniel. Ele está confiante. ?É um sonho possível. E muda tudo pensar em jogar no Rio. Tem torcida, uma atmosfera diferente. Desde que anunciaram que o golfe estaria nas Olimpíadas, é uma motivação a mais?, afirma.

Conheça os equipamentos do golfe e seus valores

Um par de luvas para jogar golfe tem o preço  médio de R$ 40 reais

Um par de luvas para jogar golfe tem o preço médio de R$ 40 reais

Foto: Getty Images

Um taco de golfe sai por cerca de R$ 100 ou  R$ 200 reais

Um taco de golfe sai por cerca de R$ 100 ou R$ 200 reais

Foto: Getty Images

Uma bolsa para tacos de golfe custa cerca de  R$ 1000 reais

Uma bolsa para tacos de golfe custa cerca de R$ 1000 reais

Foto: Getty Images

Conjunto com 12 bolinhas de golfe custa até  R$ 180

Conjunto com 12 bolinhas de golfe custa até R$ 180

Foto: Getty Images

Sapatos especiais para o campo de golfe  custam entre R$ 250 e R$ 450 reais

Sapatos especiais para o campo de golfe custam entre R$ 250 e R$ 450 reais

Foto: Victor Fraile/Getty Images

Vista do clube onde será realizado o Aberto  do Brasil, em outubro

Vista do clube onde será realizado o Aberto do Brasil, em outubro

Foto: Divulgação




--------------

Neto de golfista e jovem de projeto social sonham com futuro como profissional
Fonte: IG Esporte
Horário da matéria: 06/04/2013 às 05:00:00

Aretha Martins

Rafael Becker está no último período na faculdade nos Estados Unidos e, além de destaque do torneio universitário, é exemplo para Cristian Barcelos

São Paulo recebe nesta semana o Brasil Classics, principal torneio de golfe no país, e jovens promessas estão na disputa. Rafael Becker e Cristian Barcelos são amadores e vem de realidades diferentes. O primeiro nasceu conhecendo o golfe. O segundo é de um projeto social na Baixada Fluminense. Os dois querem um futuro no esporte como profissionais.

Leia mais: Aspirante a tenista troca de esporte e lidera promessas do golfe no Brasil

Rafael Becker já um talento no esporte. Aos 22 anos ele já foi cinco vezes campeão brasileiro, dois como juvenil e três como adulto e defende a Universidad de Wichita, nos Estados Unidos. Ele chegou ao esporte após uma proibição de sua mãe.

Deixe seu recado e comente com outros leitores

?Meu avô e meu pai jogavam. Eu, quando era bem pequeno, corria de kart, mas sofri um grave acidente e minha mãe me proibiu de continuar correndo. Eu tive os dois pulmões perfurados e não podia correr ou fazer qualquer esporte. Morava perto de um clube de golfe e ia para lá porque era a única coisa que podia fazer fora de casa?, fala Rafael.

O menino foi gostando do golfe, sua turma de amigos também jogava e ele ficou por lá. Aos 13 anos começou a treinar sério. Apesar de somar títulos no Brasil e pela universidade norte-americana, ainda não se profissionalizou. ?Uma das exigências da minha mãe para eu virar profissional era ter um diploma primeiro?, afirma.

As Olimpíadas do Rio ainda são um sonho distante para Rafael. ?Acho que vou me profissionalizar em dois anos, então 2016 ficou muito perto. Mas eu tenho 2020, 2024, 2028. A vantagem é que o golfe não é tão imediato como atletismo ou natação, por exemplo. Hoje a carreira ainda está mais longa porque, antigamente, o pessoal não malhava e agora todo mundo é atleta. Acho que até uns 50 e poucos anos dá para ser campeão no golfe?, analisa.

Veja também: Às vésperas dos Jogos do Rio, golfe tenta popularização, mas esbarra no elitismo

Para Rafael Becker, a modalidade é democrática. Ao mesmo tempo que um veterano pode competir com um jovem, um atleta mais alto pode competir com mais baixo e assim por diante. ?Falam: ?É fácil, não precisa correr, não precisa malhar, não pega peso?. Mas se não precisa de nada disso, você coloca muito mais gente com chance de competir e ganhar. Quando se compete com muita gente, o que conta é o mental?, explica o jogador, que brinca. ?Eu moro com um tenista na universidade e ele fica me zoando. Tenho vários argumentos para defender o golfe?.

Veja os equipamentos do golfe e qual o valor de cada um deles:


O golfe pode não fazer distinção entre idade ou altura, mas ainda é esporte considerado de elite por ser caro. Um taco custa de R$100 a R$200 e para começar é indicado uma bolsa com 8 tacos. Alguns projetos sociais incentivam a pratica e também revelam talentos.

Cristian Barcelos tem 18 anos, é filho de cabelereira e militar e conheceu o golfe no projeto Japeri, na Baixada Fluminense.

?Sou da comunidade e o moro bem em frente ao campo. Já tinha visto golfe na TV, mas não conhecia nada e nem nunca tinha praticado. Meus amigos foram lá brincar e eu fui também. A coisa foi dando certo, fui me destacando entre os alunos da escolhinha, ganhando alguns torneios até o ano passado ser campeão brasileiro juvenil. Aí pensei: ?Minha oportunidade é agora??, conta Cristian.

Rafael Becker, assim como Daniel Stapff, outro jovem convidado no Brasil Classic e que começou a carreira no golfe universitário nos Estados Unidos, é visto como exemplo para o garoto da periferia. ?Agora eu tenho que terminar meus estudos, mas quero ir para os Estados Unidos, fazer faculdade lá e me profissionalizar?, afirma Cristian, que cursa em 2013 o último ano do ensino médio.

O Brasil Classic segue até domingo e faz parte do Web.com Tour, torneio de acesso ao PGA Tour, que reúne a elite do golfe mundial.



--------------

Vídeo: RJX ganha do Minas na garra, e fará a final da Superliga ... - SRZD
Fonte: Google - Esporte
Horário da matéria: 06/04/2013 às 04:05:20


AHE! Portal de Esportes Olímpicos

Vídeo: RJX ganha do Minas na garra, e fará a final da Superliga ...
SRZD
O RJX conseguiu uma vitória de superação contra o Minas na terceira partida da série entre os dois times. Veja como foi esse jogaço no vídeo abaixo. Imagens João Gilberto. Com a vitória de 3x1 (parciais de 29/27, 25/17, 22/25 e 27/25) o RJX se classificou ...
03:40: RJX vence o Minas e está na final da Superliga MasculinaO Repórter
RJX vence Vivo/Minas e avança para final da Superliga masculinaTerra Brasil
Minas luta até o fim, mas perde para o Rio de Janeiro e é eliminado ...Superesportes
Diário do Grande ABC -O POVO Online
todos os 16 artigos »


--------------

Nenhum comentário:

Postar um comentário