Pesquisar este blog

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Notícias até 28-02-2013 às 07:07:09

Com direito a pneu, Nadal passa por Alund e avança em Acapulco - Globo.com
Fonte: Google - Esporte
Horário da matéria: 28/02/2013 às 06:07:35


Yahoo

Com direito a pneu, Nadal passa por Alund e avança em Acapulco
Globo.com
Rafael Nadal segue tranquilamente rumo à decisão do ATP 500 de Acapulco. Na noite desta quarta-feira (já madrugada de quinta no Brasil), o número 5 do mundo derrotou Martín Alund-ARG (91º do ranking) por 2 sets a 0 (parciais de 6/0 e 6/4) e se ...
Nadal vence argentino e chega às quartas de final em AcapulcoTerra Brasil
Acapulco: Nadal já está nos "quartos"Record
Antes de estreia, Bellucci vence nas duplas no MéxicoDiário do Grande ABC
odiario.com -AHE! Portal de Esportes Olímpicos
todos os 22 artigos »


--------------

Curry faz 54 pontos, mas Warriors caem para os Knicks em NY - Globo.com
Fonte: Google - Esporte
Horário da matéria: 28/02/2013 às 06:07:35


A Bola

Curry faz 54 pontos, mas Warriors caem para os Knicks em NY
Globo.com
Nem mesmo a atuação sensacional de Stephen Curry, dos Warriors, foi capaz de impedir a vitória do New York Knicks, que bateu o quadro visitante por 109 a 105 na noite desta quarta-feira, pela NBA. O armador do Golden State marcou 54 pontos, mais da ...
Stephen Curry faz história no Madison Square GardenA Bola
Armador dos Warriors bate recorde de pontos no ano, mas Knicks ...ESPN.Estadao

todos os 3 artigos »


--------------

Joseph Ratzinger deixa Papado e se refugia para abrir caminho ao Conclave
Fonte: Terra - Esporte
Horário da matéria: 28/02/2013 às 05:32:57

Joseph Ratzinger fecha nesta quinta feira o seu ciclo como Papa despedindo se dos seus cardeiais e buscando refeuacute;gio em um castelo isolado para abrir caminho eagrave; sua sucesseatilde;o. Sereaacute; o ritual final da reneuacute;ncia anunciada no euacute;ltimo dia 11 e que teve o peneuacute;ltimo capeiacute;tulo desenrolado nesta quarta feira, quando o Papa despediu se da multideatilde;o de fieeacute;is aglomerada na Praeccedil;a Seatilde;o Pedro.

--------------

Timão envia defesa à Conmebol nesta quinta para antecipar julgamento
Fonte: Terra - Esporte
Horário da matéria: 28/02/2013 às 05:04:35

O Corinthians vai enviar nesta quinta feira à Conmebol sua defesa no caso Kevin Espada, o garoto boliviano morto na partida da equipe contra o San José, atingido por um sinalizador que, apontam os indícios, partiu da torcida alvinegra na Bolívia. A ideia do clube é apressar ao máximo o julgamento e escapar da pena preventiva que lhe foi imposta.

--------------

Tite faz discurso oposto ao da diretoria e não vê morte de Kevin como acidente
Fonte: IG Esporte
Horário da matéria: 28/02/2013 às 05:00:01

Bruno Winckler

Para treinador é preciso repensar o papel dos protagonistas do esporte diante desta tragédia

O treinador do Corinthians esqueceu um pouco a vitória por 2 a 0 da equipe sobre o Millonarios, a primeira nesta edição da Libertadores, para falar dos motivos que levaram a Conmebol a punir o Corinthians com o fechamento dos portões do Pacaembu.

Corinthians encara Pacaembu atípico sem torcida, mas vence fácil na Libertadores

Para o treinador, a morte de Kevin Espada, de 14 anos, não foi um acidente ? diferente do discurso oficial do clube. Tite disse em coletiva que chegou a pensar em dar um tempo no futebol por conta da morte do garoto boliviano durante a estreia corintiana na Libertadores há uma semana, em Oruro, na Bolívia.

?Passa trezentas coisas pela cabeça quando uma tragédia acontece. Não é acidente, acidente é outra coisa. Passado o tempo, começo a refletir qual é o meu papel enquanto técnico de um time da grandeza do Corinthians. Poder ser uma voz para que novamente não aconteça. Poder trabalhar em função do esporte de alguma forma. Esse é o jeito que vou me posicionar em relação a isso?, disse o treinador corintiano.

O Corinthians trabalha para reverter a decisão de jogar com portões fechados na segunda partida em casa, dia 13 de marços, contra o Tijuana. Para Tite, a postura corintiana em reivindicar uma nova posição da Conmebol em relação à punição imposta de fechamento de portões nada tem a ver com o pesar que ele a diretoria sentem pela morte de Kevin.

?Eu quero que haja justiça e que pare com impunidade. Que os responsáveis sejam punidos, não é só no esporte, é no geral. Que o esporte também seja um exemplo. que as pessoas que comandam tenham a correção dos fatos?, comentou.



--------------

Tite faz discurso oposto ao da diretoria e não vê morte de Kevin como acidente
Fonte: IG Esporte
Horário da matéria: 28/02/2013 às 05:00:01

Bruno Winckler

Para treinador é preciso repensar o papel dos protagonistas do esporte diante desta tragédia

O treinador do Corinthians esqueceu um pouco a vitória por 2 a 0 da equipe sobre o Millonarios, a primeira nesta edição da Libertadores, para falar dos motivos que levaram a Conmebol a punir o Corinthians com o fechamento dos portões do Pacaembu.

Corinthians encara Pacaembu atípico sem torcida, mas vence fácil na Libertadores

Para o treinador, a morte de Kevin Espada, de 14 anos, não foi um acidente ? diferente do discurso oficial do clube. Tite disse em coletiva que chegou a pensar em dar um tempo no futebol por conta da morte do garoto boliviano durante a estreia corintiana na Libertadores há uma semana, em Oruro, na Bolívia.

?Passa trezentas coisas pela cabeça quando uma tragédia acontece. Não é acidente, acidente é outra coisa. Passado o tempo, começo a refletir qual é o meu papel enquanto técnico de um time da grandeza do Corinthians. Poder ser uma voz para que novamente não aconteça. Poder trabalhar em função do esporte de alguma forma. Esse é o jeito que vou me posicionar em relação a isso?, disse o treinador corintiano.

O Corinthians trabalha para reverter a decisão de jogar com portões fechados na segunda partida em casa, dia 13 de marços, contra o Tijuana. Para Tite, a postura corintiana em reivindicar uma nova posição da Conmebol em relação à punição imposta de fechamento de portões nada tem a ver com o pesar que ele a diretoria sentem pela morte de Kevin.

?Eu quero que haja justiça e que pare com impunidade. Que os responsáveis sejam punidos, não é só no esporte, é no geral. Que o esporte também seja um exemplo. que as pessoas que comandam tenham a correção dos fatos?, comentou.



--------------

Livre das lesões e treinada pelo irmão, Teliana revela cobrança: "Nunca alivia"
Fonte: IG Esporte
Horário da matéria: 28/02/2013 às 05:00:01

Mauricio Nadal

Pernambucana que vem de uma família de tenistas e fez campanha história em Bogotá, falou ao iG sobre a relação com o irmão, a tietagem com os grandes tenistas e as metas do ano

Recuperada de duas cirurgias de joelho, Teliana Pereira surgiu de vez para o Brasil na semana passada, após fazer campanha histórica no WTA de Bogotá. A brasileira surpreendeu e chegou à semifinal na Colômbia, quebrando um tabu que durava 23 anos no tênis feminino do Brasil.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

Renato Pereira, irmão e técnico de Teliana, é ex-tenista e foi o número 1494 do ranking da ATP, em 2007. Atualmente, eles viajam juntos pelo mundo afora e tentam conciliar a relação familiar e profissional.

Leia mais: Teliana é eliminada por alemã na estreia do WTA de Florianópolis

"Ele é muito duro, nunca alivia, mas isso é dentro de quadra, porque fora ele é irmão, precisamos saber dividir as coisas", revelou a tenista de 24 anos, em conversa por e-mail com o iG.

Nascida em Águas Belas, no sertão de Pernambuco, Teliana e sua família se mudaram para Curitiba quando ela ainda tinha sete anos de idade. O pai, ex-boia fria, começou a trabalhar em uma escola de tênis e a garota, junto de seus irmãos, viraram pegadores de bolinha. Além de Renato e Teliana, a família Pereira também tem José, de 22 anos, envolvido com o tênis. Ele é o atual 381 do ranking da ATP e busca espaço no circuito profissional.

Confira ainda: Rafael Nadal está fora do Masters de Indian Wells e de Miami, diz jornal

Antes de fazer história e chegar à primeira semifinal de torneio da WTA desde Luciana Corsato, em 1990, Teliana Pereira sofreu com contusões. A pernambucana foi submetida a duas cirurgias no joelho. Livre das dores e da fisioterapia, a tenista disse que não pensou em abandonar a carreira, nem nos momentos difíceis.


"Nunca pensei em parar, mas em alguns momentos era dificil acreditar em jogar sem dores, mas com muita fisioterapia e gelo o dia inteiro melhorou e não sinto mais. A familia e amigos foram fundamentais, foram as pessoas próximas que deram força e me incentivavam diariamente", comentou a tenista, eliminada na primeira rodada do WTA de Florianópolis na terça-feira.

Teliana ainda afirmou que sonha com Roland Garros nesse ano e se inspira na garra de Rafael Nadal e no estilo de Victoria Azarenka dentro das quadras.

Confira a entrevista com Teliana Pereira:

iG: Você conheceu o tênis aos sete anos, quando se mudou para o Paraná. Como foram os primeiros contatos com a raquete? O que lembra?
Teliana Pereira: Me mudei para Curitiba com 7 anos, meu pai foi trabalhar em uma academia de tênis, meu irmão mais velho começou a jogar e foi puxando toda a familia.

iG: Teve dificuldades para treinar na infância?
Teliana Pereira: Nunca tive dificuldades, morava do lado da academia, e treinava quando queria. Um ano depois de começar a jogar eu já estava disputando torneios.

iG: Você ganhou mais de quarenta posições pela campanha histórica em Bogotá. Qual a sua meta para os próximos torneios, em termos de ranking?
Teliana Pereira: O ranking é consequência dos bons resultados, então não me preocupo com isso e me concentro apenas em jogar meu melhor tênis e crescer a cada dia.

iG: Roland Garros é um objetivo próximo em 2013?
Teliana Pereira: Claro, estou muito perto de entrar direto na chave principal, vou me preparar muito bem para poder primeiro entrar na chave e entrando fazer uma boa campanha.

iG: Você passou por duas cirurgias no joelho. Ainda sente dores no local? Isso ainda te atrapalha de alguma forma?
Teliana Pereira: No começo foi difícil, muitas dores, muito gelo e fisioterapia, mas agora estou bem, depois de 3 anos me sinto 100%

iG: Pensou em parar durante o período em que ficou machucada? Como lida com as contusões?
Teliana Pereira: Nunca pensei em parar, mas em alguns momentos era dificil acreditar em jogar sem dores, mas com muita fisioterapia e gelo o dia inteiro melhorou e não sinto mais. A familia e amigos foi fundamental, foram as pessoas próximas que deram força e me incentivavam diariamente.

iG: Atribui a boa campanha em Bogotá a alguma mudança brusca nos treinos ou no psicológico?
Teliana Pereira: Não. Continuo fazendo o que venho fazendo a quase 2 anos. O apoio financeiro ano passado de alguns amigos ajudou, e este ano com o apoio do Correios e CBT me fortaleceu bastante para atingir meus objetivos.

iG: Como é ser treinada pelo irmão? Ele pega mais leve ou é mais duro por essa proximidade?
Teliana Pereira: Ele é muito duro, nunca alivia, mas isso é dentro de quadra, porque fora ele é irmão, precisamos saber dividir as coisas.

iG: Como vê esse assédio repentino da imprensa?
Teliana Pereira: Tento não me deixar influenciar com isso, eu sabia que um dia isso poderia acontecer mas me sinto preparada e feliz, porque é sinal de que as coisas estão dando certo.

iG: Quem são os tenistas do circuito masculino e feminino que te inspiram dentro e fora das quadras e por quê? Já tietou algum deles?
Teliana Pereira: No masculino gosto do Nadal, pela garra, persistência e exemplo de jogador que ele é. No feminino a Azarenka, gosto do estilo de jogo dela. Tive a oportunidade de tirar foto com o Nadal e Djokovic em Wimbledon.



--------------

Livre das lesões e treinada pelo irmão, Teliana revela cobrança: "Nunca alivia"
Fonte: IG Esporte
Horário da matéria: 28/02/2013 às 05:00:01

Mauricio Nadal

Pernambucana que vem de uma família de tenistas e fez campanha história em Bogotá, falou ao iG sobre a relação com o irmão, a tietagem com os grandes tenistas e as metas do ano

Recuperada de duas cirurgias de joelho, Teliana Pereira surgiu de vez para o Brasil na semana passada, após fazer campanha histórica no WTA de Bogotá. A brasileira surpreendeu e chegou à semifinal na Colômbia, quebrando um tabu que durava 23 anos no tênis feminino do Brasil.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

Renato Pereira, irmão e técnico de Teliana, é ex-tenista e foi o número 1494 do ranking da ATP, em 2007. Atualmente, eles viajam juntos pelo mundo afora e tentam conciliar a relação familiar e profissional.

Leia mais: Teliana é eliminada por alemã na estreia do WTA de Florianópolis

"Ele é muito duro, nunca alivia, mas isso é dentro de quadra, porque fora ele é irmão, precisamos saber dividir as coisas", revelou a tenista de 24 anos, em conversa por e-mail com o iG.

Nascida em Águas Belas, no sertão de Pernambuco, Teliana e sua família se mudaram para Curitiba quando ela ainda tinha sete anos de idade. O pai, ex-boia fria, começou a trabalhar em uma escola de tênis e a garota, junto de seus irmãos, viraram pegadores de bolinha. Além de Renato e Teliana, a família Pereira também tem José, de 22 anos, envolvido com o tênis. Ele é o atual 381 do ranking da ATP e busca espaço no circuito profissional.

Confira ainda: Rafael Nadal está fora do Masters de Indian Wells e de Miami, diz jornal

Antes de fazer história e chegar à primeira semifinal de torneio da WTA desde Luciana Corsato, em 1990, Teliana Pereira sofreu com contusões. A pernambucana foi submetida a duas cirurgias no joelho. Livre das dores e da fisioterapia, a tenista disse que não pensou em abandonar a carreira, nem nos momentos difíceis.


"Nunca pensei em parar, mas em alguns momentos era dificil acreditar em jogar sem dores, mas com muita fisioterapia e gelo o dia inteiro melhorou e não sinto mais. A familia e amigos foram fundamentais, foram as pessoas próximas que deram força e me incentivavam diariamente", comentou a tenista, eliminada na primeira rodada do WTA de Florianópolis na terça-feira.

Teliana ainda afirmou que sonha com Roland Garros nesse ano e se inspira na garra de Rafael Nadal e no estilo de Victoria Azarenka dentro das quadras.

Confira a entrevista com Teliana Pereira:

iG: Você conheceu o tênis aos sete anos, quando se mudou para o Paraná. Como foram os primeiros contatos com a raquete? O que lembra?
Teliana Pereira: Me mudei para Curitiba com 7 anos, meu pai foi trabalhar em uma academia de tênis, meu irmão mais velho começou a jogar e foi puxando toda a familia.

iG: Teve dificuldades para treinar na infância?
Teliana Pereira: Nunca tive dificuldades, morava do lado da academia, e treinava quando queria. Um ano depois de começar a jogar eu já estava disputando torneios.

iG: Você ganhou mais de quarenta posições pela campanha histórica em Bogotá. Qual a sua meta para os próximos torneios, em termos de ranking?
Teliana Pereira: O ranking é consequência dos bons resultados, então não me preocupo com isso e me concentro apenas em jogar meu melhor tênis e crescer a cada dia.

iG: Roland Garros é um objetivo próximo em 2013?
Teliana Pereira: Claro, estou muito perto de entrar direto na chave principal, vou me preparar muito bem para poder primeiro entrar na chave e entrando fazer uma boa campanha.

iG: Você passou por duas cirurgias no joelho. Ainda sente dores no local? Isso ainda te atrapalha de alguma forma?
Teliana Pereira: No começo foi difícil, muitas dores, muito gelo e fisioterapia, mas agora estou bem, depois de 3 anos me sinto 100%

iG: Pensou em parar durante o período em que ficou machucada? Como lida com as contusões?
Teliana Pereira: Nunca pensei em parar, mas em alguns momentos era dificil acreditar em jogar sem dores, mas com muita fisioterapia e gelo o dia inteiro melhorou e não sinto mais. A familia e amigos foi fundamental, foram as pessoas próximas que deram força e me incentivavam diariamente.

iG: Atribui a boa campanha em Bogotá a alguma mudança brusca nos treinos ou no psicológico?
Teliana Pereira: Não. Continuo fazendo o que venho fazendo a quase 2 anos. O apoio financeiro ano passado de alguns amigos ajudou, e este ano com o apoio do Correios e CBT me fortaleceu bastante para atingir meus objetivos.

iG: Como é ser treinada pelo irmão? Ele pega mais leve ou é mais duro por essa proximidade?
Teliana Pereira: Ele é muito duro, nunca alivia, mas isso é dentro de quadra, porque fora ele é irmão, precisamos saber dividir as coisas.

iG: Como vê esse assédio repentino da imprensa?
Teliana Pereira: Tento não me deixar influenciar com isso, eu sabia que um dia isso poderia acontecer mas me sinto preparada e feliz, porque é sinal de que as coisas estão dando certo.

iG: Quem são os tenistas do circuito masculino e feminino que te inspiram dentro e fora das quadras e por quê? Já tietou algum deles?
Teliana Pereira: No masculino gosto do Nadal, pela garra, persistência e exemplo de jogador que ele é. No feminino a Azarenka, gosto do estilo de jogo dela. Tive a oportunidade de tirar foto com o Nadal e Djokovic em Wimbledon.



--------------

São Paulo busca reação na Libertadores para evitar 'desastre' contra o Strongest
Fonte: IG Esporte
Horário da matéria: 28/02/2013 às 05:00:01

iG São Paulo

Após derrota na estreia da fase de grupos, clube do Morumbi entra em campo pressionado, após a goleada do Atlético-MG na Argentina

O atacante Luis Fabiano classificou uma possível derrota para o Strongest, da Bolívia, como um "desastre", e o técnico Ney Franco também trata a partida como uma espécie de final na fase de grupos da Copa Libertadores. É neste clima de decisão que o São Paulo encara a equipe boliviana, nesta quinta-feira, às 21h30 (de Brasília), no estádio do Morumbi.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Pressionado depois da derrota para o Atlético-MG, o São Paulo necessita de um triunfo para reagir e também para evitar que o adversário de La Paz se distancie junto com o Galo, já que os bolivianos estrearam com vitória nesta fase. Por isso, o treinador são-paulino não pensa nem em empate no confronto.

"Estamos trabalhando para vencer. Se vier o placar por 1 a 0, já será suficiente. Mas, além da classificação, temos o propósito de buscar o primeiro lugar na chave e o critério de saldo de gols pode ser determinante. Se a equipe estiver bem e com qualidade, pode ser interessante (conseguir triunfo elástico)", afirmou.

Veja também: Ney Franco vê obrigação de vitória na quinta após triunfo do Atlético-MG

Este será o primeiro jogo entre brasileiros e bolivianos depois da tragédia da semana passada, quando o torcedor Kevin Espada, do San José, morreu ao ser atingido por um sinalizador disparado do setor em que estavam corintianos. Mesmo assim, Ney Franco não espera que o episódio tenha algum reflexo no compromisso no Morumbi.

"Este jogo não tem relação nenhuma com o que aconteceu. São os mesmos países envolvidos, mas as duas equipes são diferentes. Talvez se nosso jogo fosse lá tivesse algum resquício, mas aqui não estamos tocando neste tema com os atletas. Vamos enfrentar o time boliviano como se estivéssemos diante de clubes da Argentina, do Peru, do Chile...", avaliou.

Leia também: Pablo Escobar sonha em fazer gol no ídolo Rogério Ceni

Para o confronto desta quinta, o treinador são-paulino retoma o esquema com três atacantes, escalando Aloísio no lado direito da linha de frente. Assim, Paulo Henrique Ganso foi barrado e fica apenas como opção. Da mesma forma, Ney voltou a escalar dois volantes, com Wellington e Denilson, colocando Maicon novamente no banco.

Enquanto o São Paulo não soma pontos ainda na fase de grupos, o Strongest venceu seu primeiro jogo e pode ficar em situação confortável se surpreender o São Paulo. No entanto, o técnico Eduardo Villegas exibe respeito pelo adversário e tem especial atenção com Luis Fabiano.

"Sabemos que o São Paulo tem grandes virtudes e esperamos conseguir combatê-las. Acima das individualidades, o conjunto deles é muito forte. E é claro que eles têm o Luís Fabiano como homem gol", avaliou.

Veja ainda: Ney Franco tira Ganso e escala São Paulo com três atacantes

Já o atacante Pablo Escobar, que atuou no futebol brasileiro (Ipatinga, Santo André, Mirassol, Ponte Preta e Botafogo-SP), define a estratégia para tentar triunfar. "Apesar de o terreno de jogo ser muito grande, não podemos dar espaço, porque eles têm jogadores rápidos e temos de estar bem atentos", encerrou.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO X STRONGEST

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 28 de fevereiro de 2013, quinta-feira
Horário: 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Enrique Cáceres (Paraguai)
Assistentes: Rodney Aquino e Dario Gaona (ambos do Paraguai)

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Douglas, Lúcio, Rafael Toloi e Cortez; Wellington, Denilson e Jadson; Aloísio, Luis Fabiano e Osvaldo
Técnico: Ney Franco

Strongest: Daniel Vaca; Diego Bejarano, Luis Mendez, Marcos Barrera e Jair Torrico; Walter Veizaga, Nelvin Soliz, Alejandro Chumacero e Sacha Lima; Pablo Escobar e Harold Reina
Técnico: Eduardo Villegas

?* Com Gazeta Esportiva



--------------

São Paulo busca reação na Libertadores para evitar 'desastre' contra o Strongest
Fonte: IG Esporte
Horário da matéria: 28/02/2013 às 05:00:01

iG São Paulo

Após derrota na estreia da fase de grupos, clube do Morumbi entra em campo pressionado, após a goleada do Atlético-MG na Argentina

O atacante Luis Fabiano classificou uma possível derrota para o Strongest, da Bolívia, como um "desastre", e o técnico Ney Franco também trata a partida como uma espécie de final na fase de grupos da Copa Libertadores. É neste clima de decisão que o São Paulo encara a equipe boliviana, nesta quinta-feira, às 21h30 (de Brasília), no estádio do Morumbi.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Pressionado depois da derrota para o Atlético-MG, o São Paulo necessita de um triunfo para reagir e também para evitar que o adversário de La Paz se distancie junto com o Galo, já que os bolivianos estrearam com vitória nesta fase. Por isso, o treinador são-paulino não pensa nem em empate no confronto.

"Estamos trabalhando para vencer. Se vier o placar por 1 a 0, já será suficiente. Mas, além da classificação, temos o propósito de buscar o primeiro lugar na chave e o critério de saldo de gols pode ser determinante. Se a equipe estiver bem e com qualidade, pode ser interessante (conseguir triunfo elástico)", afirmou.

Veja também: Ney Franco vê obrigação de vitória na quinta após triunfo do Atlético-MG

Este será o primeiro jogo entre brasileiros e bolivianos depois da tragédia da semana passada, quando o torcedor Kevin Espada, do San José, morreu ao ser atingido por um sinalizador disparado do setor em que estavam corintianos. Mesmo assim, Ney Franco não espera que o episódio tenha algum reflexo no compromisso no Morumbi.

"Este jogo não tem relação nenhuma com o que aconteceu. São os mesmos países envolvidos, mas as duas equipes são diferentes. Talvez se nosso jogo fosse lá tivesse algum resquício, mas aqui não estamos tocando neste tema com os atletas. Vamos enfrentar o time boliviano como se estivéssemos diante de clubes da Argentina, do Peru, do Chile...", avaliou.

Leia também: Pablo Escobar sonha em fazer gol no ídolo Rogério Ceni

Para o confronto desta quinta, o treinador são-paulino retoma o esquema com três atacantes, escalando Aloísio no lado direito da linha de frente. Assim, Paulo Henrique Ganso foi barrado e fica apenas como opção. Da mesma forma, Ney voltou a escalar dois volantes, com Wellington e Denilson, colocando Maicon novamente no banco.

Enquanto o São Paulo não soma pontos ainda na fase de grupos, o Strongest venceu seu primeiro jogo e pode ficar em situação confortável se surpreender o São Paulo. No entanto, o técnico Eduardo Villegas exibe respeito pelo adversário e tem especial atenção com Luis Fabiano.

"Sabemos que o São Paulo tem grandes virtudes e esperamos conseguir combatê-las. Acima das individualidades, o conjunto deles é muito forte. E é claro que eles têm o Luís Fabiano como homem gol", avaliou.

Veja ainda: Ney Franco tira Ganso e escala São Paulo com três atacantes

Já o atacante Pablo Escobar, que atuou no futebol brasileiro (Ipatinga, Santo André, Mirassol, Ponte Preta e Botafogo-SP), define a estratégia para tentar triunfar. "Apesar de o terreno de jogo ser muito grande, não podemos dar espaço, porque eles têm jogadores rápidos e temos de estar bem atentos", encerrou.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO X STRONGEST

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 28 de fevereiro de 2013, quinta-feira
Horário: 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Enrique Cáceres (Paraguai)
Assistentes: Rodney Aquino e Dario Gaona (ambos do Paraguai)

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Douglas, Lúcio, Rafael Toloi e Cortez; Wellington, Denilson e Jadson; Aloísio, Luis Fabiano e Osvaldo
Técnico: Ney Franco

Strongest: Daniel Vaca; Diego Bejarano, Luis Mendez, Marcos Barrera e Jair Torrico; Walter Veizaga, Nelvin Soliz, Alejandro Chumacero e Sacha Lima; Pablo Escobar e Harold Reina
Técnico: Eduardo Villegas

?* Com Gazeta Esportiva



--------------

Nenhum comentário:

Postar um comentário